reverso do ser

reverso do ser
reverso do ser

domingo, 12 de outubro de 2014

ENIGMA

De pele clara e sorriso singelo
Um anjo de luz
Cheia de malicias com um gingado
Perfeito
De voz suave e atraente
Que me leva a imaginá-la
Há como desejava
Beijá-la intensamente
Deslizar minha boca pelo seu corpo
Por todas as curvas e dobras
Bem lentamente
Sentir seu cheiro, o toque o suor, os gemidos
Nossas almas se unindo
Admirar os seus olhares  
E vê-la gozar
Há chega
Assim não me amparo
Estou em êxtase...
Sei que ela pode me mostrar muito
Alem da minha visão e me surpreender
Como um vírus que vive em transformação
E não pode ser controlado
São as sensações que ela me provoca
Como participante de um jogo viciante
Espero com ansiedade
A próxima rodada
A quebra de regras
Serei o Édipo
Que decifrará
A esfinge de Tebas
Que se faz presente
Em meus pensamentos...

Poesia de Ricardo Sirieira escrita em conjunto com a poetisa Karolina
11 21h40min outubro de 2014


Nenhum comentário:

Postar um comentário